A crise e os desfiles carnavalescos do Estado do Rio ~ Na Cadência da Bateria

.

.

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

A crise e os desfiles carnavalescos do Estado do Rio

Na semana em que várias prefeituras anunciaram o cancelamento dos desfiles das escolas de samba, nosso colunista Roberto Morgado, explica em seu artigo como a 'crise' está servindo justificativa para o fim dos desfiles, e até que ponto o carnaval de Niterói também está ameaçado. Com ou sem alegoria, teremos desfiles? Confira a opinião do colunista Roberto Morgado

As diferentes crises financeiras dos municípios fluminenses e o Desfile de Escolas de Samba no Estado
por Roberto Morgado 

            Esclareço de imediato que ao comparar as medidas públicas relativas ao Desfile de Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos por diferentes municípios tem por finalidade apresentar “as crises” que sempre justificam cortes e diminuições de apoio financeiro a esta importante atividade econômica e cultural.
            O município de Niterói, ao contrário das expectativas da maioria dos sambistas, está prestes a cancelar a edição do desfile, que em tempos idos era realizado na Avenida Amaral Peixoto e que desde a criação da União das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Niterói (U.E.S.B.C.N.) é realizado na Rua da Conceição.

            O desfile em Niterói que estava em ritmo de crescimento contínuo, desde a assunção da atual gestão sofre cortes que diminuiu o nº de Agremiações e de dias em sua edição. Os desfiles são organizados e realizados pela Prefeitura Municipal de Niterói e Liga local. Porém, nota-se que nos últimos anos a Prefeitura tem exercido um controle maior e mais rigoroso sobre as atividades da U.E.S.B.C.N. Não só a prefeitura, mas outros órgãos de controle, como o Ministério Público (M.P.R.J.) e o Tribunal de Contas do Estado (TCE). O Ministério Público em 2014 denunciou a Liga Municipal em função de um representante da U.E.S.B.C.N. ter recebido o valor integral destinado aos Blocos e Escolas de Samba para a realização do Desfile (R$ 1,8 milhão), apresentando uma procuração em nome de todas as agremiações, o que contrariava as recomendações do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e do Ministério Público estadual e na forma do chamamento público, que determianava que as escolas de samba que iriam desfilar no Centro deveriam assinar contratos individuais.[1]

            De qualquer forma, o desfile de 2015 ocorreu como previsto e ainda, no dia da apuração dos vencedores do CARNAVAL 2015, na Quadra da Unidos do Viradouro no Barreto, demonstrando que os embates eram “página virada” na história do carnaval de nossa cidade, o representante do Governo fez promessa as afiliadas, no sentido de que aquelas que realizassem a sua PRESTAÇÃO DE CONTAS até o mês de março,  receberiam ainda em outubro uma CARTA DE CRÉDITO.

            Porém, em abril, durante o feriado de páscoa daquele ano houve o MAIOR E MAIS DURO GOLPE contra as Agremiações Fluminenses, com a retirada dos CARROS ALEGÓRICOS E ALEGORIAS nele contidas do Barracão cedido pela Prefeitura. O tratamento dado ao material pertencente as agremiações (ou sob seus cuidados, vez que comum permutas e empréstimos entre agremiações de diferentes municípios e categorias) foi o de LIXO a ser descartado.

            Como se não bastasse o DESPEJO e a DESTRUIÇÃO dos CARROS ALEGÓRICOS e ALEGORIAS, muitas Agremiações e a própria U.E.S.B.C.N. foram pegas de surpresa com a publicação em 07/10/15 no Diário Oficial do Município promovendo a intimação daqueles que possuíam pendências em prestações de contas. Um total de 18(dezoito) processos administrativos relacionavam-se às Afiliadas e 5 (cinco) destes eram movidos em face da própria União.


De acordo com o Tribunal de Contas do Estado (Delib.nº 200) o prazo final para prestação dessas contas era no dia 22/10/15 e, após esse prazo, seriam adotadas as medidas legais cabíveis aos faltosos. Ainda naquele mês (dia 18) publicamos artigo no qual alertávamos que a realização da festa na Rua da Conceição em virtude estaria comprometida caso a União ficasse impossibilitada de receber valores de entes públicos, nos seguintes termos:

Embora o repasse dos valores tenha deixado de ser realizado pela U.E.S.B.C.N. acreditamos que sem a presença do Órgão na preparação e realização dos Desfiles na Rua da Conceição a tendência é que NÃO OCORRAM DESFILES DE ESCOLAS DE SAMBA na cidade de NITERÓI durante os festejos do CARNAVAL DE 2016.

Na data de hoje, 12 de janeiro de 2016, O CANCELAMENTO DO DESFILE DOS BLOCOS E ESCOLAS DE SAMBA PARECE-NOS MUITO, MAS MUITO MAIS PLAUSÍVEL DO QUE ANTES, e não pelo motivo anteriormente ventilado, mas sim por questões político-partidárias e a UNIÃO REAL DOS DIRIGENTES DAS AGREMIAÇÕES que deliberaram no sentido que no desfile de 2016 NÃO HAVERÁ CARRO ALEGÓRICO NEM ALEGORIA alguma.

Essa decisão tem por base a negligência com que as agremiações foram tratadas durante o ano, com as constantes avaliações, reuniões e visitas para que houvesse o ressarcimento do prejuízo decorrente do despejo do Batalhão.

Consideramos ainda o agravante da redução do valor destinado às Agremiações no aporte de 20% (vinte por cento).

Porém, o que consideramos como o principal elemento para vislumbrarmos esse tenebroso quadro é o precedente aberto no fim da semana passada pelo município de Cabo Frio e que teve como justificativa a mesma “CRISE” alegada por Niterói e que culminou com a nova redução do apoio financeiro para a realização dos desfiles.
Hoje, na parte da manhã, os sambistas de São Gonçalo noticiaram o cancelamento do Desfile naquele município através do Programa Serginho Total, na Rádio Fluminense AM 540.

crise x CRISE

O termo CRISE tem sido a justificativa para inúmeros atos governamentais nas várias esferas, sempre visando cobrir a má gestão dos recursos públicos. Na esfera federal podemos citar a volta da CPMF, imposto criado para a área de saúde e que, se aprovado, servirá tão somente para cobrir o rombo deixado pelos atuais gestores.
O que nos incomoda é o fato de identificarmos CRISES tão diferentes em municípios contíguos, como o caso RIO DE JANEIRO – NITERÓI – MARICÁ – SÃO GONÇALO.


Em 03 DE SETEMBRO DE 2015 o Prefeito Eduardo Paes, através da Secretaria de coordenação da Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou que o repasse para as Agremiações do Grupo Especial aumentaria. Foi então realizada a DUPLICAÇÃO DO VALOR DO REPASSE para estas escolas de samba para o DESFILE DE 2016, o que  foi oficializado em 24 DE NOVEMBRO pela prefeitura do Rio de Janeiro.

No município de Maricá, o Prefeito Washington Quaquá anunciou em 26 DE MAIO a crioação do G.R.E.S. União de Maricá, que teve até mesmo stand na segunda edição do Carnavália­Sambacon, que ocorreu entre os dias 18 e 20 de junho de 2015. Foi no mês de setembro adquiriu a vaga e o CNPJ do Império da Praça Seca, procedimento que é chamado pelos sambistas de “COMPRA DE CNPJ”. Oficializada em 27 DE NOVEMBRO a Agremiação que já nasce desfilando na Estrada Intendente Magalhães na SÉRIE C e de acordo com a administração municipal a Quadra a ser construída contará com Centro de Formação Tecnológica e Escola Técnica. Ambas servirão para a formação de profissionais ligados a economia da cultura (cenógrafos, iluminadores, aderecistas, etc.)[2].

            Em 2015 o Carnaval de Cabo Frio foi considerado um dos mais animados do interior do Rio. Pela cidade circularam 51 blocos, em diversos bairros. Os foliões tiveram mais de uma semana de festividade, tendo início na sexta-feira anterior ao carnaval (13/02/15) e terminando no domingo subsequente ao Carnaval (22/02/15). Até o Ministério do Turismo recentemente citou nominalmente a cidade ao publicar em 30/01/15 em seu site a nota intitulada Carnaval no Rio deve atrair 1,3 milhão de turistas, revela estudo[3]. O texto afirmava que a estimativa de gastos dos visitantes estavam na faixa de R$ 1,2 bilhão apenas nas cidades cidades do Rio de Janeiro, Búzios, Cabo Frio, Petrópolis, Angra dos Reis e Parati. Em 07 DE JANEIRO DO CORRENTE foi veiculada a notícia que a Prefeitura de Cabo Frio anunciara a IMPOSSIBILIDADE DE REALIZAR A FESTA DE CARNAVAL EM 2016, SENDO O MOTIVO A CRISE ECONÔMICA. A nota ressalta ainda que a festa da cidade é uma das principais do estado e que os 51 blocos carnavalescos da cidade irão buscar apoio da iniciativa privada para que a festa não permaneça cancelada.[4]
            Conforme noticiou o jornalista Serginho Total em seu programa na manhã desta terça-feira, os sambistas de SÂO GONÇALO foram pegos de surpresa com a comunicação do Sr. Alex Santos, subordinado do vice-prefeito Sandro Almeida que comunicou às Agremiações daquele importante município que não haveria condições de realizar o carnaval, no caso o desfile de Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos nesse ano. Assim como o Prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa, o chefe do Executivo do de um dos municípios mais importantes do Estado, Neilton Mulim, culpa a “CRISE” pelo cancelamento
Desde a posse do atual Prefeito, RODRIGO NEVES, os sambistas de Niterói podem tranquilamente afirmar que a tal CRISE, há muito passou; o desfile das Escolas de Samba em nosso município está em COLAPSO.
Não farei outra retrospectiva, posto que até em vídeo já publiquei as promessas e propostas não cumpridas dos membros do governo, também o fazendo através de todas as mídias - Programas de Rádio, de artigos, de panfletos e posts em diferentes redes sociais – que chegamos até mesmo a ter esperança.
Essa ESPERANÇA, faltando apenas 26 DIAS para o início das atividades na Rua da Conceição está MORTA E ENTERRADA.
É ao mesmo tempo BOM para qualquer VEREADOR que tenha interesse no carnaval; é EXCELENTE para o CHEFE DO PODER EXECUTIVO, que mentiu e agiu de maneira diametralmente oposta ao que apresentava aos sambistas da cidade durante todo o mandato; igualmente BOM para o PRESIDENTE DA NELTUR, vez que poderá afastar-se de um candidato que tenta a re-eleição e possui um péssimo desempenho em uma área que este sempre atuou com desenvoltura, sendo até mesmo um dos fundadores da U.E.S.B.C.N..
Imagine-se na situação do Prefeito RODRIGO NEVES e marque a alternativa que entender adequada:
A)   REALIZARIA O DESFILE NA RUA DA CONCEIÇÃO, custeando o mesmo e na condição de candidato a re-eleição amargaria durante três dias, por várias horas, as agremiações passando sem seus carros, com as faixas negras em seu lugar e com vasta repercussão no noticiário, sendo um “banquerte” para os adversário lembrarem a todo o tempo as promessas não cumpridas, as trapalhadas administrativas, os erros de gestão, etc;
B)   CANCELARIA O DESFILE NA RUA DA CONCEIÇÃO, e como muitos tem agido, colocaria a culpa na “crise”.

Tenho por mim que tanto o Prefeito, quantos seus aliado políticos marcariam a ALTERNATIVA B

NUNCA EM TODA A MINHA VIDA DESEJEI TANTO ESTAR ERRADO



__________________________________________________________________________________
ROBERTO MORGADO (por ele mesmo)

Quando nasci meu primeiro lar foi uma casa ao lado da Quadra da Unidos do Cubango. Segundo minha mãe, me agitava ainda em sua barriga nos dias de Ensaio e diz que hoje entende que não era incômodo pelo barulho: era vontade de sair para ir para lá! Ao vir morar no Bairro do Viradouro, com o qual mantenho estreito vínculo desde 1990, passei a me interessar pelo Bloco que havia se tornado Escola de Samba, a Folia do Viradouro. Depois que fiz a primeira visita, de lá nunca mais saí. Além de questões administrativas cuido da divulgação e do conteúdo nos Blogs e Páginas em nome da Folia. Em 2015 criei empresa por achar que as atividades relacionadas a Cadeia Produtiva do Carnaval são geradoras de Renda, Emprego e Cidadania. O conteúdo da coluna é sobre SAMBA e CARNAVAL, seus aspectos culturais e econômicos, com foco nas atividades das Agremiações e dos Poderes Públicos de Niterói.” 
Reações:
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

2 comentários:

Postar um comentário

Aconteceu na Avenida

Aconteceu na Avenida
O editor do blog, Luiz Eugenio, entrevistando o intérprete Willian no Carnaval 2008

Personagens da Folia

Personagens da Folia
Rodrigo Fontes, coreógrafo da Comissão de Frente da Sabiá

Musa da Cadência 2013

Musa da Cadência 2013
Danúbia Gisela, a madrinha da bateria do GRES Tá Mole mas é Meu

Momentos do Carnaval 2013

Momentos do Carnaval 2013
Jéssica. Porta-bandeira do Experimenta da Ilha

Explosão da Folia

Explosão da Folia

Folia e Souza. Campeãs 2015

Folia e Souza. Campeãs 2015